Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Dia Nacional da Mata Atlântica

  • Publicado: Segunda, 28 de Maio de 2018, 14h13
  • Última atualização em Segunda, 04 de Junho de 2018, 14h21
  • Acessos: 303

Desmatamento da Mata Atlântica é o menor registrado. Imagem: Praia Grande - SC  SFB

Com uma queda no desmatamento, Mata Atlântica dá sinais de resistência.

No último domingo (27 de Maio), foi comemorado o Dia Nacional da Mata Atlântica. Uma data que começou com uma queda importante nos valores de desmatamento, vindas dos 17 estados que detêm esta floresta tropical.

Considerada um dos biomas mais importantes pois abriga 72% da população brasileira, aspectos como: produção agrícola, crescimento populacional em áreas urbanas, segurança hídrica, biodiversidade, entre outros tem importância estratégica tanto para a conservação quanto para o crescimento econômico sustentável dos principais pólos econômicos do Brasil.

Inicialmente a Mata Atlântica abrangia cerca de 15% do território nacional, mas hoje restam 12,4% da floresta em forma de remanescentes isolados e em sua grande maioria propriedades privadas. Ela também abriga sete das nove maiores bacias hidrográficas brasileiras.

O Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, tem o objetivo de mapear e monitorar a situação da Mata Atlântica e seus ecossistemas associados. A iniciativa é marcada por um convênio pioneiro entre a Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Através do Atlas, dados recentes apontam que o desmatamento da Mata Atlântica entre 2016 e 2017 teve queda de 56,8% em relação ao período anterior (2015-2016). No último ano, foram destruídos 12.562 hectares (ha), ou 125 Km², nos 17 estados do bioma. Entre 2015 e 2016, o desmatamento foi de 29.075 ha.

Este é o menor valor total de desmatamento da série histórica do monitoramento desde que o levantamento começou, identificando as alterações no período de 1985 a 1990 e a divulgação dos dados a partir de 1992.

Marcia Hirota, coordenadora do Atlas e diretora-executiva da SOS Mata Atlântica, destaca que, apesar de o desmatamento continuar, há motivo para comemoração. “Em um momento político e eleitoral importante para o País, a Mata Atlântica dá o seu recado: é possível reduzir o desmatamento. Com o compromisso e o diálogo entre toda a sociedade, incluindo proprietários de terras, governos e empresas, podemos alcançar o desmatamento ilegal zero, já presente em sete estados”, vislumbra ela.

Os novos dados do Atlas da Mata Atlântica indicam que as ações de alguns estados para coibir o desmatamento – como maior controle e fiscalização, autuação ao desmatamento ilegal e moratória para autorização de supressão de vegetação (caso de Minas Gerais) – trazem resultados positivos.

noticia 280518 sosmata

 

Fonte: SOS Mata Atlântica, adaptado SFB.

registrado em:
Fim do conteúdo da página